ABCO - Associação Brasileira de Consultores

Informativo

Informativo ABCO 14

ANO I – Nº 14 – Rio, 29 de Dezembro de 2015
 
Palavra do Consultor – Um feliz 2016
Prezados colegas consultores, que 2016 seja exuberante, confirmando as expectativas dos consultores ouvidos em agosto/setembro 2015 e confiando na postura dos consultores em enxergar novas demandas, novos caminhos, e avigorar a rede…
 
Muita saúde, intensas relações familiares e de amizade, e paciência com este adolescente país.

Informativo ABCO 13

Palavra do Consultor - Retirando os códigos de Ética das gavetas das diretorias
 
Entendemos que devem as organizações, fundamentadas em sólidos princípios morais e éticos, nortear a conduta dos que nela trabalham- público interno e externo- alicerçando,  consolidando e exemplificando  comportamentos compatíveis  com tal ideal, tornando-se, assim, conveniente e oportuno revisitar, periodicamente, as diretrizes éticas envolvidas, atualizando-as para comportar ocorrências e novos desdobramentos,  ocorridos no seu interregno, e até indicar caminhos e  orientações, como, por exemplo, canais diretos de denúncias anônimas, para o desenvolvimento sem tropeções organizacionais.

Informativo ABCO 12

Palavra do Consultor

Acréscimo de trabalho para 2016.

Os consultores preveem um acréscimo no volume de trabalho para o próximo ano. Ora, isso é até paradoxal, vez que as previsões mostram retração do crescimento da economia em 2015 de aproximadamente 2,9% e de 1% em 2016. Ocorre, entretanto,- a experiência demonstra- que em momentos de retração, quando as empresas procuram soluções diferentes para problemas diferentes, a procura de serviços de consultoria cresce muito, principalmente, em competências outras- isenção, independência, distanciamento crítico- não disponíveis internamente.

Informativo ABCO 11

Palavra do Consultor

Capacidade de realizar a autogestão do trabalho- Tempo:

Usa seu tempo de modo eficaz; a pausa para se restabelecer; consciência que para cada hora presencial gasta 2 a 3 de preparação; estabelece prioridades; é pontual; faz o tempo ter valor; não “dá” consultoria “única coisa” que tem para vender; separa os assuntos cruciais dos triviais e concentra seus esforços de acordo com isso.

Tem certeza que o seu posicionamento reflete, também. sua renúncia  aos serviços que não pretenda, não saiba,  ou não tenha interesse em cultivar, para não “causar ruídos” à imagem. É o dono do “relógio do ponto” de sua Vida.

Informativo ABCO 09

Palavra do Presidente – Competência do Consultor
O Consultor- pela sua independência, isenção, alternância de clientes, diferentes níveis de proficiência, saber ouvir e munido de perguntas que levam à reflexão, à análise, à investigação- desvela e pinta de cores e luz o que jaz oculto, esconso, à sombra, intencional ou não do contratante, e identifica, com o cliente, o real problema da organização.

Repetiam os manuais, alguns aprendiam observando o possível, lendo a incipiente literatura, e quando cometíamos os nossos erros transformávamos em degraus para os acertos. Aprendíamos assim.
 
Hoje as consultorias estão mais abertas, aderem às pesquisas acerca do setor; contamos também com consultores experientes para orientar os que migram do mundo corporativo e aos jovens que querem ingressar na consultoria e a ABCO para construir a rede, analisar, interpretar e compreender as novas demandas, revelar o que faz e como faz o consultor, e apresentar-nos aos que procuram profissionais da consultoria.

Informativo ABCO 08

Palavra do Presidente – Consultoria tão (mal) comentada
 
Cabe aos consultores, e muito à ABCO, tornarem compreensíveis os serviços de consultoria:

o que fazem, como fazem; a importância da definição do real problema, que assegura 50% de sucesso; esclarecer que os serviços têm prazo ( início, meio e fim); que há muita parceria para formar equipes multidisciplinares, com saberes interconectados, para ajudar a solucionar problemas sistêmicos; que devem incitar a participação efetiva dos clientes na elaboração do diagnóstico; definir nitidamente os objetivos da contratação; cumprir com rigor o cronograma (etapas, relatórios parciais…); e que o reconhecimento e o sucesso se apoiam na competência, experiência, de não estar de passagem pela consultoria, na visibilidade constante, todavia comedida, e no comprometimento ético do consultor.

Informativo ABCO 07

Palavra do Presidente – Consultoria – Criatividade/Inovação
 
A vigilância sensível e permanente do Consultor ao mercado é a atitude vital de seu êxito profissional. Ela permite identificar as características do mercado, os sintomas de mudanças, as nuances que as mudanças estão trazendo ao “design” do mercado. Produz uma porção de ideias novas e originais; faz com facilidade associações entre conceitos sem relação anterior aparente uns com os outros; costuma ser visto como inovador. A criatividade é atributo de todos, embora geralmente sufocada e reprimida pelos padrões de comportamento e pelos conceitos e paradigmas geralmente aceitos. A descoberta, e a inovação dela resultante, exige nos colocarmos do ponto de vista das pessoas envolvidas e, de forma empática, experimentarmos o porquê de seus comportamentos e das necessidades a que eles atendem.

Informativo ABCO 06

Palavra do Presidente – E o consultor quando apareceu?
 
Sempre existiu, com o seu olhar de distanciamento crítico, o saber ouvir, a independência, e remonta ao tempo em que havia os bobos da corte, os únicos que podiam, segundo a tradição, falar o que pensavam e queriam, sem serem enforcados. Contudo, a consistente influência do Cardeal Richelieu, durante o andamento da Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), na França, foi um marco histórico. O também Cardeal Mazarino teve marcante presença como conselheiro, e o mais discutido, analisado e citado, Maquiavel traçou as primeiras linhas de um plano ao aconselhar Lourenço de Médici como constituir um principado, governá-lo, fortalecê-lo. Hoje, os bons Consultores têm também como virtudes o comprometimento ético, o conhecimento sempre atualizado, evitando a obsolescência, a experiência vivida- lastro de erros e acertos-, o bem cuidado sigilo profissional, constroem/ participam de uma boa e ativa rede de consultores.

Informativo ABCO 05

Palavra do Presidente – Consultoria só com ética
 
O Consultor, profissional em todos os sentidos, é, necessariamente, honesto e reservado. Ele não aceita serviços para encobrir malfeitos e prestar consultoria às empresas que fazem “malfeitos”- corruptos ou corruptores. O seu posicionamento estaria comprometido se descobrisse estar sendo usado como “tapume” e permanecesse associado a negócios travestidos de consultorias – as que agem sob algum disfarce para vender consultoria, participam de carteis ou tentam valorizar ações às esconsas de todos, no mais das vezes, com apurações demoradas. Abstém- se de pagamento a agentes públicos ou privados para obter negócios ou vantagens indevidas. Não faz, não participa, não finge que não vê e atua energicamente contra todos os atos que possam contribuir para desmoralizar, desacreditar, confundir ou comprometer o bom nome da Consultoria.

Informativo ABCO 04

Palavra do Presidente – Melhor Consultor II

 Pressentem que, no mais das vezes, o cliente/contratante não sabe bem qual é o seu real problema ou não pode revelar; a etapa inicial de um projeto será aclarar, pelo consenso, a Situação atual e a Desejada; (50% da solução de um Problema dependem da sua identificação exata). Procuram obter apoio, o endosso, de quem detém o poder na organização, sem o que nada acontece, nada muda, e defender a transparência, para que fique claro a todos  o que se pretende. Com cumplicidade chega-se melhor e mais rápido à Situação Desejada. Enfim, o Consultor deve zelar pelo comprometimento ético, administrar como e onde se posicionar,  fazer o que realmente gosta, o que lhe dá prazer e satisfação. Certamente, será melhor Consultor.