Politizou, e agora?

Atualmente trocamos alguma ideia com amigos ou familiares e o papo invariavelmente termina com um link político, normalmente é com uma piadinha ou sarcasmo, devido ao acontecimento da semana entre outros gatilhos. Em um passado não muito distante, vivíamos de olhos vendados com os acontecimentos políticos, na verdade, todos sabem da importância e dos impactos, porém, o povo brasileiro sempre foi pacífico e acomodado com certas questões, e a política é sem dúvidas uma dessas vertentes que deixávamos de lado. Em outros tempos qualquer papo que caminhasse para a política já era rechaçado por amigos e colegas.
 
Novos tempos vieram, em face a toda destruição econômica, não tínhamos outra saída a não ser ter que escutar, comentar e por fim, participar de alguma forma na construção de dias melhores. Como se num passe de mágica descobrimos os impactos da economia em nossas atividades profissionais? Sofremos por anos e não demos um grito, não tentamos nos alinhar e buscar crescimento dentro deste cenário instável, que “sempre” foi o Brasil. Já é característico do brasileiro que, primeiro sofremos e depois vamos atrás da recuperação! Neste processo, houve mudanças e muitos elogios “agora estamos debatendo política, a nação irá crescer e seremos fortes”. Só esqueceram de ensinar como que fazemos isso (risos).
 
Nem tudo são flores, e nesta vertente estamos passando por uma fase extremamente intolerante, normal? Sim, faz parte do processo! Não seria fácil virar a chave e sair por aí todos abraçados, estamos pagando pelo preço de não fazer essa transição gradativa, perdemos tempo e agora vai ter que ser na marra. Perigoso, indelicado, bruto, violento, desagregador, entre outras dezenas situações que conflitam todos os dias em diversos grupos. Queremos falar, expor, mostrar que temos voz ativa, queremos respeito, vencer simplesmente por vencer! Vamos ter que aprender rápido, com habilidade e muita compreensão. Aonde é que fazemos o curso para se capacitar neste quesito? Infelizmente, não tem!
 
A politização de todos os assuntos, estão atrapalhando nossas relações de trabalho, amizade e familiares. A única saída é você! Sim, você vai precisar de muita habilidade, empatia e compreensão, estamos passando por um processo e não é você que vai conseguir mudar, reverter ou até mesmo convencer a todos sobre determinado assunto. Sua responsabilidade com o clima organizacional, relações, networking, continuam à todo (vapor). Não deixe se envolver por essa “disputa”, se é que podemos definir assim, estar antenado participativo, mover-se como em um jogo de xadrez para crescer, alavancar sua carreira, arrastar amigos e colegas para a positividade e desenvolvimento, faz parte da sua missão.
 
Você é capaz e responsável, encontre seu equilíbrio e administre suas emoções, não é o jovem e nem o mais experiente, que vai resolver este imbróglio da noite para o dia, serão conjuntos de ações e comportamentos. Sua empresa precisa entender o momento e internamente trabalhar essas questões individualmente e em grupo, não perca networking, não faça inimizades, não brigue, assim como o jargão popular diz “sextou”, vivemos a época do “politizou”, vamos ter que nos adaptar, mantenha a calma e o foco no seu desenvolvimento, crescimento pessoal e profissional, ainda teremos um longo período de instabilidade nas relações. Muita calma nessa hora!
 
Renato Lopes
Consultor & Palestrante
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.