Automação descarta também executivos

 
De que adianta maturidade e competência
testada se não conseguem recolocação?
 
Quem os acolherá e irá usufruir de toda essa experiência que o mercado corporativo, muitas vezes, prefere desperdiçar? Eles – os descartados – que passam a investir neles o seu principal ativo.
 
Tradicionais e novos setores demandam serviços de consultoria e treinamento conduzido por profissionais experientes, com vivência e a competência de só quem já passou por situações – erros transformados em degraus para acertos gerenciais – saberia o momento de intervir, melhorando os processos, treinando pessoas, reconduzindo empresas aos “eixos”; porém, quem sabe que eles querem participar. Quem os preparou? Quem os conhece? Onde encontrá-los?
 
O consultor com múltiplas experiências irá reprogramar os conhecimentos generalistas e técnicos auferidos na vida profissional do(a) executivo(a) ora descartado(a), canalizando-os para as atividades de consultoria organizacional e/ou técnica.
 
Contudo, antes é importante que o(a) executivo/gestor(a) decifre o dilema: espalhar currículos, aguardar apático a recolocação ou empreender se capacitando, por exemplo, para trilhar o caminho da consultoria?
 
 
Luiz Affonso Romano
Consultor organizacional, coach, CEO do Laboratório da Consultoria e presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO – abco.org.br)