Consultoria: Sócrates e sempre

No passado remoto com Sócrates, Cícero, Sêneca, Maquiavel, Shakespeare…no recente com Kubr, Lodi, Jacobsen, Bretas Pereira… a Consultoria continua a ter sempre a ver com mudança- e  hoje é o que não falta nas organizações.
 
Requisitado para identificar o “real” problema, analisar, interpretar a globalização,
 
os efeitos da  automação, há 36 anos,
 
a terceirização e suas consequências,
 
a frouxidão dos laços de pertencimento
 
o empreendedorismo dos jovens e agora com mais razão dos adultos com múltiplas experiências,
 
a preparação para a transição voluntária ou para o descarte,
 
os novos demandantes- entidades de profissionais, sindicatos patronais e de empregados, mídia, universidades, empresas juniores, sistema S, esporte…
 
enxergar ameaças e oportunidades a pessoas e organizações. E a ele próprio.
 

Charge do Nani. Fonte: Informativo COP setembro 1983

Com o olhar de estranhamento, distanciamento crítico, independente,  longe da rotina enfadonha, o Consultor sabe que na consultoria não há receita de bolo, é um desafio, pois não existem “doenças” , mas doentes, com “reais” problemas irrepetíveis- empresas e pessoas são únicas, com seus espaços, tempos e circunstâncias.
 
Luiz Affonso Romano
consultor organizacional e de pessoas, coordenador da pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil, coach para desenvolvimento em consultoria, professor do Curso de Desenvolvimento de Consultores