ABCO - Associação Brasileira de Consultores

Consultoria profissional

 
Consultoria é uma profissão de tempo integral, independente, e não uma atividade espasmódica. Tem um corpo de conhecimentos teórico-prático próprio, diferente de apenas saber fazer alguma coisa.
 
Assim, o contratante deve indagar, pesquisar: há quanto tempo o profissional é consultor, para quem prestou consultoria assemelhada, em que área, quando, tem testemunhos, o cliente o recontrataria para o mesmo trabalho ou para outro, expressão verbal- escrita e oral, ministra aula/palestra acerca do tema, atuação foi testada em empresas do ramo, com estrutura de capital parecida, porte…

A importância dos indicadores para a medição do desempenho global

A moderna gestão financeira deve medir não apenas a evolução das vendas, custos e resultados, mas também a estratégia, o modelo de negócios e o relacionamento com clientes e colaboradores.
 
Em um contexto que começa a se implantar um novo modelo de governança corporativa, as empresas que querem estar na vanguarda deverão se adaptar a novos modelos de indicadores e, consequentemente, desenvolver novas missões e papéis em seu corpo diretivo.
 
Estes novos modelos levam em conta não só a saúde financeira da empresa, como também o observam a partir de um olhar mais integrado dos processos, ou seja, como as tarefas são feitas, e também os aspectos relacionados com o marketing e clientes, bem como seus funcionários. O novo modelo de gestão é mais aberto, inclusivo e, sobretudo, participativo. O modelo de controladoria trancado no escritório acabou. Hoje quem lida com finanças deve ser proativo e integrado em diferentes setores da empresa.

O início da consultoria

Um pouco de história…
 
O consultor é, essencialmente, um conselheiro. Um ser de ajuda. Essa figura sempre existiu, e remonta ao tempo em que havia os bobos da corte, os únicos que podiam, segundo a tradição, falar o que pensavam e queriam, sem correrem o risco do enforcamento.
 
Contudo, a consistente influência do Cardeal Richelieu, durante o andamento da Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), na França, foi um marco histórico.
 
O também Cardeal Mazarino teve marcante presença como conselheiro e o mais discutido, analisado e citado Maquiavel traçou as primeiras linhas de um plano ao aconselhar Lourenço de Médici como constituir um principado, governá-lo, fortalecê-lo.

Politizou, e agora?

Atualmente trocamos alguma ideia com amigos ou familiares e o papo invariavelmente termina com um link político, normalmente é com uma piadinha ou sarcasmo, devido ao acontecimento da semana entre outros gatilhos. Em um passado não muito distante, vivíamos de olhos vendados com os acontecimentos políticos, na verdade, todos sabem da importância e dos impactos, porém, o povo brasileiro sempre foi pacífico e acomodado com certas questões, e a política é sem dúvidas uma dessas vertentes que deixávamos de lado. Em outros tempos qualquer papo que caminhasse para a política já era rechaçado por amigos e colegas.
 
Novos tempos vieram, em face a toda destruição econômica, não tínhamos outra saída a não ser ter que escutar, comentar e por fim, participar de alguma forma na construção de dias melhores. Como se num passe de mágica descobrimos os impactos da economia em nossas atividades profissionais? Sofremos por anos e não demos um grito, não tentamos nos alinhar e buscar crescimento dentro deste cenário instável, que “sempre” foi o Brasil. Já é característico do brasileiro que, primeiro sofremos e depois vamos atrás da recuperação! Neste processo, houve mudanças e muitos elogios “agora estamos debatendo política, a nação irá crescer e seremos fortes”. Só esqueceram de ensinar como que fazemos isso (risos).

Previsão dinâmica: Os benefícios da constante reavaliação na gestão orçamentária anual

 
A maioria das empresas coloca um tempo significativo - semanas ou até meses - na preparação dos orçamentos anuais. Mas, infelizmente, na maioria dos casos, o orçamento já está desatualizado quando é concluído. E no atual clima de negócios em constante evolução, manter um orçamento obsoleto pode comprometer seriamente as decisões.
 
É por isso que qualquer organização com uma mentalidade proativa precisa transformar seu planejamento de orçamento estático em previsão dinâmica, que combina informações reais junto com projeções.
 
Agora, a ideia de fazer atualizações de planos trimestrais, mensais ou mesmo semanais pode parecer assustadora, para dizer o mínimo. Mas existem soluções que tornam as atualizações regulares viáveis e práticas. Estamos vendo cada vez mais empresas adotando várias abordagens diferentes à medida que avançam em direção a uma lógica de previsão. A seguir estão dois exemplos: